As palavras dos outros...

De nada vale tentar ajudar quem não se ajuda a si próprio. "Confucio"

terça-feira, 28 de abril de 2009

3 espelhos


difícil é suportar
difícil é esquecer
que na ombreira
da porta, encostada
meia coberta, no meio
de 3 espelhos
a sua imagem reflectia
luz, êxtase, admiração
e eu
meia cara feita
meia de espuma
e a
bruma de vapor
irrompendo
e o
seu rosto,
a sumir,
e o
seu corpo,
a desaparecer
e a
sua toalha,
pendurada
e o
seu cheiro,
perdido
e eu
olhava o espelho
de forma fixa,
a sua imagem
desvaneceu-se
qual nevoeiro
sebastiânico,
no meio da bruma
não a encontro.

7 comentários:

Pearl disse...

Por vezes perdemos o alcance das coisas, de alguém que nos escapa e nós imóveis!
Por vezes a petrificação é tão imensa que assistimos a tudo sem nada fazer ou reclamar!

beijinho

Nadezhda disse...

"e eu
olhava o espelho
de forma fixa,"

Às vezes esqueço do tempo (e do mundo) fazendo isso ;)

escarlate.due disse...

gosto destes poemas assim desenfreados, corridos, sem folego :)

Violeta disse...

Só perdemos o que deixamos escapar, sem nada fazer.
A vontade é senhora quando se deixa agarrar...

Não a deixes fugir.

"Sofi@" disse...

Simplesmente perfeito:D
Admiro muito sua maneira de escrever, com palavras e frases simples tem o poder de nos envolver na história, como que estivessemos presentes na história!
Beijo

ลndreia disse...

~ Há pormenores que simplesmente desaparecem para se perderem... ~

Beijinho *

Anónimo disse...

Olho-me ao espelho e o que vejo?Que anos depois nada mudou...tudo piorou.

Só angustia e mágoa
Só dor, desprezo, confusão, insegurança, instabilidade
Só rugas, cabelos brancos, velhice

Porque havemos de ter mais momentos maus que bons?

Onde anda a felicidade?
Que remédios existem?
Como fazer...?