As palavras dos outros...

De nada vale tentar ajudar quem não se ajuda a si próprio. "Confucio"

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Fim

Por razões pessoais
este blog vai encerrar
portas e deixar de ser
actualizado. Vou andar
por aí mas será com toda
a certeza a vaguear por
outros blogs que gosto
e que tenho prazer em ler.
Obrigado a todos os que
por aqui passaram...

6 comentários:

C (zinha) disse...

Quando tudo se desmorona nada mais nos pode sossegar.
Eu sei o que é isso, e tu como de costume cortas o mal pela raiz e ponto final.
Chegaste ao fim de linha, isto só pode significar que tu estás para lá daquilo que é o teu limite. Sei o que vivi contigo e tenho pena, muita pena que isto te esteja a acontecer.
mas por favor tente descansar.

Brown Eyes disse...

Não queria deixar de te desejar felicidades e que tudo te corra bem.

Anónimo disse...

Em tempo de desolação não se fazem mudanças. É um antigo princípio da sabedoria que se pode traduzir assim: quando andas em baixo, não faças opções. Sim, então não se tem luz nem discernimento para o fazer. Espera pacientemente, clarifica-te, que chegará o momento certo da decisão...

eu disse...

Quando um pedido de desculpas chega, fico feliz, e como não sou de rancores, aceito e tudo será como sempre.
Isto faz-me reflectir e provavelmente reconsiderar o encerramento do blog.

MIM disse...

O John hoje fala por mim...
Beijo

"No, I'm not colorblind
I know the world is black and white
I try to keep an open mind
But I just can't sleep on this tonight

Stop this train
I want to get off
And go home again
I can't take the speed it's moving in
I know I can't
But honestly, won't someone stop this train?

Don't know how else to say it
I don't want to see my parents go
One generation's length away
From fighting life out on my own

Stop this train
I want to get off
And go home again
I can't take the speed it's moving in
I know I can't
But honestly, won't someone stop this train?

So scared of getting older
I'm only good at being young
So I play the numbers game
To find a way to say that life has just begun

Had a talk with my old man
Said "help me understand"
He said "turn sixty-eight
You renegotiate"

"Don't stop this train
Don't for a minute change the place you're in
Don't think I couldn't ever understand
I tried my hand
John, honestly we'll never stop this train"

Once in awhile, when it's good
It'll feel like it should
And they're all still around
And you're still safe and sound
And you don't miss a thing
Till you cry when you're driving away in the dark
Singing

Stop this train
I want to get off
And go home again
I can't take the speed it's moving in
I know I can't
Cause now I see I will never stop this train"

Silvana Nunes .'. disse...

Salve !
Em busca de leitores e de petrocínio para o meu blog, estou aqui para convidá-lo a conhecer "FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER...", em http://www.silnunesprof.blogspot.com
Professora e pesquisadora da cultura brasileira, acredito num mundo melhor com menos violência através do exercício da leitura e da reflexão.
O afeto e a educação continuam sendo o maior bem que podemos deixar para os nossos filhos. Com amor, toda criança será confiante e segura como um rei, não se violentará para agradar os outros e será afinada com o seu próprio eixo. E se transformará num adulto bem resolvido, porque a lembrança da infância terá deixado nela a dimensão da importância que ela tem.
Além disso, divulgar esse imenso país com suas belezas naturais e multiplicidades culturais têm sido outra de minhas metas, afinal ninguém pode amar aquilo que não conhece, não é verdade. Eu me apaixonei pelo Brasil aos 12 anos, depois de ler "O Auto da Compadecida", de Ariano Suassuna para fazer uma peça de teatro na escola onde estudava - Chicó foi o meu primeiro amor. Penso que falta ao povo brasileiro conhecer mais o seu país. Ultoimamente temos visto tantos escândalos na TV, dinheiro em mala, en cueca, em bolsa, escondidos até em meia...tanta gente passando necessidade e essa raça de políticos desviando milhões dos cofres públicos, deixando o povo a mercê da própria sorte. Uma total falta de respeito para com o seu país. Falta a essa gente o sentimento de pertencimento, afinal o Brasil ainda é o melhor lugar para se morar.
Bem, se você achar a minha proposta coerente, VAMOS TODOS JUNTOS NA LUTA POR UM MUNDO MELHOR.
Atualmente moro dentro de um pedacinho da Mata Atlântica, ruídos aqui só o canto dos pássaros, o Curupira,do Caruara, a Pisadeira ... vez por outra o Saci aparece aprontando das suas. Devido a localidade ser muito alta, o sinal que chega do meu 3G é muito precário, nem sempre posso estar online. Alé, disso tenho outro probleminha: os relâmpagos. Espero que compreenda as diversas limitações de quem escolheu viver no meio do mato e, na medida do possível, vou respondendo os e-mails que chegam e atualizando o meu blog FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... em http://www.silnunesprof.blogspot.com
Se você ainda não o conhece, dê uma chegadinha por lá, é só clicar no link em azul. Deixe para mim o seu comentário.
Que a PAZ e o BEM te acompanhem sempre e que os bons ventos soprem a seu favor neste ano de 2010 que se inicia.
Saudações Florestais !
Silvana Nunes.'.